Notícias

Giro Tecnológico promove debate sobre manejo de pragas e doenças no algodão

05/07/2018

A BASF e a Tropical Melhoramento & Genética (TMG) organizaram três encontros com produtores mato-grossenses para discutir como a integração entre sementes de alto potencial genético e defensivos agrícolas eficientes potencializam os resultados nas lavouras de algodão. O Giro Tecnológico Algodão BASF & TMG reuniu 267 produtores de Sapezal, Nova Mutum e Campo Verde, importantes municípios agrícolas do estado de Mato Grosso.

Os agricultores conheceram o portfólio da BASF e TMG e tiraram dúvidas sobre manejo eficiente de pragas, plantas daninhas e doenças do algodão. O destaque do portfólio da BASF são os fungicidas Opera® Ultra, Orkestra® SC e Caramba® 90. As soluções são recomendadas para o controle das principais doenças do algodão, como a ramulária, uma das doenças mais severas do cultivo e que pode causar perdas de até 35% na produtividade, caso o manejo não seja feito corretamente.

“A rotação de princípios ativos e o uso de diferentes grupos químicos para o controle de doenças é a recomendação da BASF para que os agricultores tenham lavouras mais produtivas e rentáveis. Nosso objetivo com estes encontros é promover conteúdo que auxilie os produtores na longevidade dos negócios, por meio da troca de experiência e conteúdos entre os participantes”, comenta Luiz Fernando Straioto, gerente de Marketing de Algodão da BASF.

 A TMG apresentou seu portfólio de cultivares de algodão, com destaque para a TMG 81WS e TMG 47B2RF e para os lançamentos TMG 44B2RF e TMG 62RF, essa última como opção para áreas de refúgio. Durante os encontros, Renan Santos, supervisor de Desenvolvimento de Mercado da TMG, destacou que as projeções indicam crescimento de área plantada para a safra de algodão 2018/19 e a cultivar TMG 81WS é umas das melhores opções para essa condição de plantio sobre áreas de soja/milho, devido ao seu sistema radicular agressivo e crescimento vigoroso.

“Para o manejo da principal doença do algodoeiro, a ramulária, a TMG também oferece ao mercado três cultivares com a tecnologia RX, que confere tolerância à doença e está presente na TMG 44B2RF, TMG 47B2RF e TMG 62RF. Soma-se a isso o alto potencial produtivo e a excelente qualidade de fibra dessas cultivares”, pontua.

O Giro Tecnológico também contou com a participação de especialistas em manejo fitossanitário. O pesquisador da Fundação MT, Leandro Zancanaro, falou sobre o manejo correto de solos para assegurar uma boa fertilidade. Já Fábio Echer, pesquisador da Unoeste, destacou a importância da fisiologia das plantas para a qualidade do cultivo.

Texto: Assessoria de Imprensa BASF com Assessoria de Imprensa TMG