Cultivar com ampla resistência a cisto muda a realidade de agricultores em Querência

Publicado em: 26/01/2021

Área com nematoide de cisto da soja sofria com baixas produtividades até o plantio de variedade com genética diferenciada

Produtores rurais em Querência, na região do Vale do Araguaia em Mato Grosso há 16 anos, Pedro Algeri e seu genro, Daniel Fischer Gress, produzem soja e milho safrinha numa área de 150 hectares. O nematoide de cisto está presente no solo da fazenda, com maior infestação da raça 4. Mas a preocupação com o patógeno já não é mais a mesma, desde que os agricultores optaram por conhecer a cultivar TMG 2381IPRO.

O agricultor Pedro conta que, ao longo de várias safras, a família testou mais de dez variedades de soja e a produtividade máxima alcançada foi em média 60 sacas por hectare. Em alguns anos, relata, o resultado foi de pouco mais de 50 sc/ha. A partir da safra 2019/20essa situação, porém, mudou. Eles plantaram 60 hectares com a cultivar TMG 2381IPRO, que tem Ampla Resistência a Cisto, um atributo de melhoramento genético desenvolvido pela TMG. A cultivar foi a aposta dos agricultores para ter mais segurança e produtividade na lavoura.

Neste primeiro ano a colheita da variedade confirmou a expectativa e rendeu 79 sc/ha. “Todas que testamos ao longo do tempo eram do mesmo ciclo de 100 a 115 dias, mas nunca iam bem, um ano antes da 2381 chegamos a colher só 47 sacas”, conta Daniel.

Na safra atual a área com a TMG 2381 cresceu e foi para 140 hectares. O plantio aconteceu em 15 de outubro e a lavoura está próxima da dessecação. A previsão, segundo Pedro Algeri, é colher até o dia 5 de fevereiro. O genro Daniel aposta no resultado entre 70 e 80 sc/ha. “Estamos muito otimistas com a cultivar, a lavoura está muito bonita, tem chovido bem e sabemos que ela aguenta chuva na colheita, com fé em Deus teremos uma excelente safra", ressalta ele.

Outra característica da cultivar, que é a de não ter problema com porte em caso de veranico, também surpreendeu os agricultores. “Após 30 dias de plantio pegamos 16 dias de veranico e ela aguentou bem, já as outras três variedades que estão em teste aguentaram menos devido não ter a resistência a cisto”, explica Pedro.

As sementes da safra 2021/22 da TMG 2381IPRO já estão garantidas na Fazenda Del Piero, que manterá a cultivar como carro-chefe por trazer segurança para veranico e cisto, além de rentabilidade ao negócio da família. A ampla resistência da TMG 2381 cobre as raças 1, 3, 4, 5, 6, 9, 10 e 14.

Nematoide de cisto da soja

Muito comum em todas as regiões produtoras do Brasil, o Nematoide de Cisto da Soja (NCS), Heterodera glycines, é o que tem maior poder de causar perdas, entre 5% e 30% em locais com baixas infestações, e até 70% naqueles com maior incidência. A ocorrência desse patógeno é mais prevalente no Mato Grosso, atingindo principalmente as regiões Sudeste, Médio-Norte e a Parecis.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nematologia (SBN), somente o nematoide de cisto está presente em aproximadamente três milhões de hectares da cultura da soja, que é considerada sua principal hospedeira. Neste contexto, a utilização de cultivares com ampla resistência é uma opção que pode trazer rentabilidade para o produtor que precisa lidar com o problema.